sábado, 30 de abril de 2016

Lançamentos

Scanmaniacs

Scanmaniacs

Em meio ao século XIX, os samurais desapareceram para sempre da face da Terra. Ou não? A Espada de Kumori é um conto de samurai no presente, de guerreiros honrados carregando suas tradições no mundo moderno. É também a história de uma mulher que descobre ser mais que uma guerreira... Infelizmente a série foi descontinuada antes de seu final, por problemas financeiros da editora, mas é uma história muito boa. Então, a minissérie ficou com 5 edições reunidas aqui em 1 Link.
Scanmaniacs

Scanmaniacs

Vamos acompanhar a jornada da intrépida Jool, um dos poucos seres humanos remanescentes em um planeta futurista todo habitado por tribos de robôs, onde a magnetosfera foi destruída e a nociva radiação cósmica praticamente esterilizou o planeta. Isso obrigou os robôs (que foram criados inicialmente para servir aos humanos) a se adaptarem ao rigoroso ambiente e assumirem formas animalescas similares aos animais atuais. Criando várias classes de robôs, desde os que agem como simples animais lutando pela sobrevivivência até robôs em forma animal que pensam e falam. Um destes grupos dos chamados robôs sapiens é a aldeia dos Mekakas, símios robôs de diversas formas que se intitulam os maiores robôs da Terra. Seu líder é um gorila que se acha o maioral chamado Armageddon, ele apagou suas emoções menos úteis, como piedade e senso de moral, que se alia a Jool para tentar destruir Amok, o Deus-Fera, líder dos Rodamamutes, após este ter atacado sua aldeia e matado diversos Mekakas para obter metal. Uma história fantástica, no melhor estilo Heavy Metal.
Scanmaniacs

Scanmaniacs

Em um futuro muito distante, toda a humanidade está confinada a uma única cidade, totalmente fechada. Ninguém pode sair da cidade, que funciona como o último reduto da raça humana. Todas as necessidades humanas são atendidas por um sofisticado sistema de computadores e a vida é virtualmente eterna. Os seres humanos, após uma existência muito prolongada, são armazenados em bancos de memória dos computadores para depois ressuscitarem, evitando o tédio da vida eterna. Mas nem todos se conformam com esta situação: um jovem quer saber o que há lá fora.

Nenhum comentário: